Início: 28 de abril

Novamente, levamos o Dia de Campo Phytus até você!

Neste evento digital apresentamos todo o conteúdo do nosso Dia de Campo Phytus 2021 que seria apresentado no encontro presencial.


Como vai funcionar?

1º Preencha os campos de cadastro abaixo para se inscrever. (Concorde com receber comunicação para receber o link em seu e-mail)

2º No dia 28 de abril será encaminhado o link para o seu e-mail para a primeira apresentação.

3º Ao final da última apresentação você receberá um material exclusivo com conteúdos relacionados às apresentações dos pesquisadores do Instituto Phytus.

Preencha o formulário para participar gratuitamente

Utilize seu e-mail para receber todos as apresentações do Dia de Campo Phytus.

Para você receber as palestras você deve aceitar o recebimento de comunicação.

Não se preocupe, seus dados estarão protegidos com a gente.

Aprenda mais com nossos pesquisadores

Nitrogênio e molibdênio: importância na fixação biológica de nitrogênio

Dr.ª Larissa Araújo Tormen

A fixação biológica de nitrogênio na cultura da soja viabilizou a produção dessa leguminosa sem a necessidade de reposição desse nutriente através de fertilizantes minerais. No entanto, para aqueles ambientes com elevados patamares produtivos a alta demanda por nitrogênio pode tornar-se um fator limitante. Nesse cenário é de fundamental importância que o processo de fixação biológica de nitrogênio seja capaz suprir tais demandas.

Nesse sentido, o fornecimento de nitrogênio via fertilizantes minerais e a pulverização foliar de molibdênio tem sido investigados como alternativas para o suprimento dessa demanda. Assista em minha apresentação estes e muitos outros pontos relacionados à nutrição de plantas e aprenda mais para fortalecer a sua produção.


Controle de doenças: muito além da aplicação de fungicidas!

Dr. Nédio Tormen

A ocorrência de doenças representa ameaça constante a manutenção de elevados patamares de produtividade. Reduções de produtividade de até 25 sacos por hectare para manchas foliares e de até 40 sacos por hectare para ferrugem asiática têm sido observadas em experimentos conduzidos na região centro-oeste do Brasil. A redução das perdas causadas por doenças depende do emprego de diversas estratégias, como escolha da cultivar, sementes de qualidade, cobertura do solo com palha e proteção da planta com fungicidas. A aplicação de fungicidas, para que seja eficiente, depende de uma aplicação de qualidade, no momento certo e com os princípios ativos mais adequados para cada momento do ciclo da planta, visando reduzir a severidade das doenças sem causar fitotoxidez. O emprego de todas essas práticas de forma harmônica é essencial para a sustentabilidade da cadeia de soja.

Como extrair o máximo de eficiência dos nematicidas?

Dr. Paulo Santos

O Manejo de nematoides na cultura da soja exige a integração de várias estratégias. Atualmente, as estratégias mais utilizadas têm sido o uso de produtos químicas e agentes biológicos.

Em minha apresentação, abordaremos fatores ligados ao ambiente de produção, precisamente associados ao solo, como compactação, desequilíbrio nutricional e falta de palhada, interferem no benefício dessas tecnologias utilizadas para o manejo do nematoide.

Fatores decisivos para o manejo eficiente de lagartas na cultura da soja e milho. 

Dr.ª Tatiane Lobak

As principais espécies de lagartas desfolhadoras encontradas na soja são: a lagarta-da-soja, lagarta-falsa-medideira, e as lagartas do gênero Spodoptera, como a S. cosmioides e S. eridania, S. frugiperda e S. albula. Além disso, na lavoura encontramos lagartas que causa danos diretos as vagens como as lagartas do gênero Helicoverpa e a Chloridae virescens. No manejo de lagartas devemos considerar a identificação correta da espécie, o tamanho da lagarta e a densidade populacional de lagartas que ocorrem na lavoura. Pois há diferença na suscetibilidade aos inseticidas entre as espécies, sendo que a densidade populacional das diferentes lagartas deve ser mensurada pelo monitoramento frequente da lavoura. Portanto, esses aspectos são fundamentais para o controle eficiente dessas pragas na lavoura.

Herbicidas pré-emergentes: opção ou necessidade?

Me. Lucas Araújo

No manejo de plantas daninhas, o controle químico é o mais utilizado pelos produtores de soja e milho. Abordaremos o uso correto dos herbicidas como estratégia de manejo das plantas daninhas de difícil controle, as espécies que são tolerantes ao glifosato e as resistentes aos herbicidas. Daremos ênfase a importância dos herbicidas pré-emergentes para o sistema de produção de grãos, por exemplo a rotação de mecanismos de ação de herbicidas. No atual cenário de forte pressão de seleção de plantas daninhas resistentes, o uso de herbicidas pré-emergentes torna-se uma opção ou necessidade? Esta ferramenta química proporciona vários benefícios, como a redução do banco de sementes; fornece um controle residual dos diferentes fluxos de emergência; evita e/ou retarda a matocompetição. Portanto, a adoção de herbicidas pré-emergentes pode promover grandes resultados, de médio e longo prazo.

Patrocinador Diamante

Patrocinador Ouro

Patrocinadores Prata

Apoio

Inscreva-se gratuitamente

© Todos os direitos reservados.